top of page

ENSAIOS DE PENETRAÇÃO DINÂMICA –CORRELAÇÕES ENTRE O ENSAIO STANDARDPENETRATION TEST (SPT) E O PENE


Victor do Carmo Destefano


Relatório Final de Dissertação Apresentado à Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto

Politécnico de Bragança



O engenheiro deve ter sempre presente que está tratando com um material (terreno)

extremamente complexo, que varia de lugar para lugar e que, em geral, não pode ser observado

por sua totalidade, mas, tão somente, através de amostras ou de ensaios in loco (Caputo, 2000).

Tendo em conta estas dificuldades apresentadas pelos solos, surge a busca por dados que

representem da melhor forma possível o material analisado.


Segundo Coelho (1996), a fonte incorreta ou inexistente de conhecimento do terreno, a escolha

do método de fundação incorreta ou a deficiente execução da fundação causam parte

significativa dos casos de acidentes ou anomalias em estruturas ou edifícios. Portanto, a

caracterização do solo torna-se imprescindível para desenvolvimento dos projetos.

Existe um conjunto vasto de ensaios possíveis, realizados tanto em campo quanto em

laboratório, entretanto devido aos problemas relacionados a recolha de amostras, os ensaios in

situ, tornam-se indispensáveis para obras de engenharia civil, permitindo testar o solo em suas

condições naturais.


Este estudo tem como objetivo principal correlacionar os resultados obtidos por ensaios

efetuados com o Penetrómetro Dinâmico Superpesado, DPSH, e com os do Standard

Penetration Test, SPT, utilizando os equipamentos disponíveis no Laboratório de Geotécnica

do Instituto Politécnico de Bragança.

No presente trabalho, pretende-se demonstrar a importância e as vantagens da associação dos

ensaios SPT e DPSH, tecendo no desenvolver, considerações a respeito da caracterização

geotécnica do solo, reunindo informações sobre os terrenos analisados e sobre as características

dos equipamentos utilizados.